//
você está lendo...
Dicas, Diferenças Culturais

Lord of the Dance

Até ir ver o espetáculo, não tinha certeza se sabia o que era esse tal Lord of the Dance e Michael Flatley, seu criador. Claro que em algum momento já tinha ouvido alguma coisa a respeito mas estava tudo perdido em algum lugar na memória.

Para quem gosta de dança é imperdível.

A companhia foi criada pelo coreógrafo e bailarino Michael Flatley em 1995 e baseia seus espetáculos no folclore Irlandês. A combinação da música celta e o sapateado são absolutamente envolventes.

Lord of the Dance trouxe a trupe para se apresentar em Wilmington, DE. Mais precisamente no DuPont Theatre. Com um belíssimo figurino, se desdobra um duelo entre o bem e o mal com uma pitada de romance. Pano de fundo fácil para apresentar um espetáculo de sincronia, agilidade e leveza.

 

DuPont Theatre

Uma experiência para lá de interessante para quem trabalhou na empresa e vive na cidade que nasceu por conta da fábrica de pólvora do Sr E.I.(Eleuthère Irénée du Pont), como é conhecido o fundador da DuPont.

Dentro do Hotel DuPont, o mais luxuoso da cidade, o teatro, inaugurado em 1913, tem estilo Vitoriano e foi a realização do sonho de três homens – J.J. Raskob, Pierre S. du Pont, and R.R.M. Carpenter – de trazer as principais produções de Nova York para a cidade.

E assim o fizeram. O DuPont Theatre se tornou um dos maiores teatros da época e trouxe diversas peças importantes e recebeu atores como Audrey Hepburn, Bette Davis, George C. Scott, Ginger Rogers, Henry Fonda, Ingrid Bergman, Robert Redford, Victor Borge, Walter Matthau no seu palco.

Aproveitamos e jantamos no famoso Green Room – restaurante do hotel. Por ficar próximo ao que eles chamam de Art District, o restaurante de cozinha francesa oferece, além do cardápio à la carte, nos dias que a casa recebe algum espetáculo, também há um “prix fixe theather menu“.

Comida maravilhosa. Escolhi uma salada com queijo de cabra e um vinagrete de morango. Estava ótimo. Mas como sou fã das folhinhas, não conta muito. Por outro lado, como não sou fã de carne, podem acreditar que o filé mignon com purê de batatas e molho de cogumelos estava divino. Claro que a sobremesa não poderia deixar a desejar e era uma seleção de três pequenas porções de torta de maracujá com chocolate, sorvete de chocolate e mousse de chocolate com framboesas.

 

Detalhes culturais

Média de idade dos espectadores do show: 64.7 anos – isso porque tinham cinco crianças entre sete e doze anos

Dress code: apesar de saber que o ambiente – e a sociedade aqui – pede algo formal para a ocasião, tinha um desavisado de jeans, paletó e tênis e diversos senhorzinhos de gravata borboleta. Impagável.

Divisões de tarefas: na fila para entrar no restaurante – nossa reserva era as 6:30pm – a recepcionista foi acompanhar um grupo que chegou e ,neste meio tempo, a outra pessoa que estava na porta, tentando ser simpática, solta a peróla que ela não pode atender os demais porque não é a função dela. Ela apenas guarda os casacos e “que bom que está esquentando e as pessoas não estão mais usando tanto casacos”.

About these ads

Sobre Hearts and Minds

Avessa a mudanças, tive a grata surpresa de descobrir que tudo pode mudar. Menos as coisas mais importantes da vida. Porque aquilo que não toca no coração, não fica na mente.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

E em 140 caracteres

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 279 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: